Condimentos

Açafrão - Alecrim - Bicarbonato - Canela em Casca - Canela em Pó - Coentro em Pó - Colorífico - Cominho em Pó - Cominho em Grão - Cravo da India - Curry - Erva Doce - Ervas Finas - Louro em Pó - Louro em Folhas - Manjericão - Mangerona - Nós Moscada em Grão - Nós Moscada em Pó - Orégano - Páprica Picante - Pimenta com Cominho - Pimenta Calabresa - Pimenta em Pó - Pimenta em Grão - Pimenta Branca - Salsa Desidratada  - Salvia - Tempero Misto - Tomilho

_________________________________________________________________________

 

 

 

Conheça nossas principais ervas e temperos utilizadas na cozinha brasileira.

Veja algumas dicas e sugestões para dar um toque especial no preparo de seus pratos:

 

 

AÇAFRÃO: O que temos no Brasil não é o mesmo que italianos e espanhóis usam para dar cor amarela e sabor discretamente amargo a frangos e risotos. A especiaria deles custa uma fortuna nas importadoras porque vem de uma planta rara do Mediterrâneo. O que chamamos aqui de açafrão é uma planta nativa que dá um colorante de sabor discreto usado em ensopados, principalmente em Goiás.


ALECRIM: Seu casamento perfeito é com a batata assada, ensopada, quase de todo jeito. Mas também vai bem no tempero de ensopados, de carne de frango ou de boi, mas principalmente é o tempero essencial para um bom pernil de carneiro assado na brasa. Uma receitinha simples e gostosa é a do bife bretão, lambuzado com azeite de oliva, sal e alecrim antes de ir à frigideira (o mesmo tempero, em doses mínimas, pode ser pingado em torradas que vão ao forno, servidas como tira gosto).

ALHO: Esmagado, em lâminas ou inteiro em refogados, frituras ou assados, é bem vindo à maioria das receitas de salgados. Mas olhe a companhia: muitos bons cozinheiros mandam escolher entre ele e a cebola, por achar que o doce de um e o ácido do outro só combinam em poucos pratos, felizmente, a nossa feijoada aceita os dois e de preferência em abundância.

 

CANELA: Tempero com lugar em praticamente todos os doces tradicionais brasileiros, como doce de abóbora, mamão, arroz-doce e cocada, sempre em parceria com o cravo-da-índia. Só com açúcar, é salpicada na banana-da-terra frita. Experimente ainda a canela no tempero de leite e iogurtes, para variar o café da manhã.

COENTRO: Tempero de peixes e frutos do mar muito usado no Norte e no Nordeste, não se faz uma moqueca sem usar o coentro.

COMINHO: Sementinha que entra em receitas de pão preto e em algumas variedades de queijo.

CRAVO DA ÍNDIA: Parceiro da canela em doces, se dá bem sozinho em salgados. Experimente espetar alguns cravos numa cebola inteira em caldos e ensopados. Também combina perfeitamente com carne de porco: especialmente quando espetados no pernil ou lombo antes de assar, retire-os quando servir.

 

LOURO: Tempero de feijão e molhos de tomate, cabe em vinhas d'alhos e em base de sopas, sempre em folhas inteiras. Em pó, dá um belo gosto para espinafre refogado na manteiga.


MANJERICÃO OU ALFAVACA: Boa companhia para o tomate, em molhos, saladas ou na pizza. Se você tiver manjericão fresco, use a folha inteira porque se picar escurece. Uma boa combinação, é colcar sobre a carne que vai ao forno para ser assada com algumas folhas de manjericão, confere-lhe um sabor todo especial.

MANJERONA: Tem sabor mais suave que o manjericão e vai bem em frangos, sopas e molhos de peixe à base de manteiga. Combina muito bem com os molhos de tomate.

NOZ-MOSCADA: Realça o sabor de salgados (muito usada em molhos brancos, gratinados e legumes refogados) e de doces (pudins, tortas, bolinhos e o leite batido do lanche).

ORÉGANO: Outro bom casamento do tomate, na salada, no molho ou na pizza (aliás, indispensável). Bom tempero também para pasta de queijo e para azeitona preta (junto com azeite de oliva e pimenta calabreza moída para os mais chegados num tira-gosto picante).

PÁPRICA: No mercado encontra-se moído esse condimento, feito de pimentão vermelho, em duas qualidades: doce e picante. Tempera bem ensopados de vitela, frango e carne de porco (é o tempero principal do goulash húngaro).

PIMENTA DO REINO: Já moída é mais suave, moída na hora fica mais forte. Na base de caldos você pode usar os grãos inteiros e coar na hora de servir; os grãos inteiros servem anida para temperar embutidos como o salame e a mortadela.

SALSA: Discreta e refrescante, tem lugar numa infinidade de receitas. Lembre-se de que, para se picada, tem de estar bem sequinha, senão vira pasta. Para facilitar, você pode picar o maço todo e guardar num vidro na geladeira com um pouco de óleo em cima, que dura até uma semana. Ou congelar dentro de um saquinho plástico (na hora de usar, pode pôr direto na panela, que ela descongela rapidinho).

SÁLVIA: Quer incrementar um bife comum? Depois de fritá-lo, tire da frigideira, derrame fora o óleo ou a margarina que ficou. Leve a frigideira ao fogo e coloque um pouco de manteiga, limão, sal e sálvia picada. Deixe apurar um pouco e jogue sobre o bife. Para variar um ravioli ou capeleti, esquente em uma frigideira um pedaço de manteiga com sálvia, junte a massa depois de escorrê-la, misture e rale queijo parmesão por cima. No mais, pode usar a sálvia sempre que fizer um recheio de carne.

TOMILHO: Se um prato tem tomate ou queijo, pode ter tomilho.

 

MOSTARDA: O molho clássico do cachorro quente também dá um sabor diferente a ensopados e saladas. Usada em sementes, arde ligeiramente no chucrute (repolho cozido) e tem seus admiradores na salada de batata e nos grelhados. Em pó, dissolvida na água ou no caldo, é mais suave que em semente.

 

BAUNILHA: Vai bem em todos os pudins, sorvetes e cremes doces que levam leites e ovos.

 

 

 

_________________________________________________________________________

 

 

 

Ervas & Especiarias  |  ​ Temperos  |  Molhos  |  Chás  |  Geléia de Mocotó  |  Doces & Festas

Início  |  Simular Pedido  |  Fale Conosco / SAC

Produtos Italianinho 2020

Design: HugoSentinelli.com